.Tomaram café ..


windows 8 registry tweaks

.mais sobre mim

.Coisas que escrevi:

. ...

. Estafadêra...

. ...

. Lição de Inglês - Nº. 3

. Enfardar

. Felicidade

. Bacalhau escondido à minh...

. As velhotas na missa

. Dúvida do dia.

. A Vingança

.arquivos

. Setembro 2011

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

Quinta-feira, 9 de Setembro de 2004

Asas do pensamento

moinho.bmp


São moinhos de vento girando,
Elos ligados, unidos e soldados.
São espirais em rodopio constante,
Círculos formados na agua pela gota que cai.

É o vai-e-vem perpétuo dos mares
O movimento da lua em redor da Terra.
São cometas que disparam no espaço,
Noras movidas pela agua do regato.

Avalanche descendo a encosta
Num crescendo de partículas de neve.
Terras desabando em ribeiras sem margem
Rios desaguando em oceanos profundos.

É a lava expelida do vulcão revoltado
Magma rubra em erupção,
São os fios de linho saídos da roca,
Fiados pela mão de mulher sem idade.

Assim, qual carrinho de linhas coloridas
Desbobinamos pensamentos em cadeia,
Consumimos o dia, esgotamos a noite,
Sem repouso, pausa ou paragem.

Tic tac ecoando por brancas galerias
Que conduzem a corredores estreitos
Sinto a pressão e alivio de saber que
Nem a morte trava o tempo e a mente.












escrevinhado por Mikas às 14:02

link do post | Diz-me o que pensas | favorito

2 comentários:
De Anónimo a 13 de Setembro de 2004 às 18:14
Especialmente bonito. :)
heather
</a>
(mailto:lolita30@clix.pt)


De Anónimo a 9 de Setembro de 2004 às 16:47
Moinhos que giram com ventanias de pensamentos soltos... Gostei.polittikus
(http://polittikus.blogspot.com)
(mailto:pp@sapo.pt)


Comentar post