.mais sobre mim

.Coisas que escrevi:

. ...

. Estafadêra...

. ...

. Lição de Inglês - Nº. 3

. Enfardar

. Felicidade

. Bacalhau escondido à minh...

. As velhotas na missa

. Dúvida do dia.

. A Vingança

.arquivos

. Setembro 2011

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

Quinta-feira, 31 de Maio de 2007

Em memória de quê?

 

Digna de veneração e louvor foi Teresa de Calcutá.

 

Dignas de veneração são as irmãs missionárias que todos os dias arriscam a vida ao entrarem mato adentro para levar auxilio, comida e conforto a quem precisa. Quantas são vitimas de violação e morte durante o trajecto.

 

Dignas de veneração são as irmãs que cuidam dos leprosos com mãos carinhosas, com as consequências tantas vezes conhecidas.

 

Dignas de veneração foram as irmãs que andaram na frente de batalha durante as Guerras Mundiais a cuidar dos feridos, a apaziguar os moribundos.

 

Agora.. Só um país de pascácios eleva aos píncaros da glória e cria memoriais a alguém que se encafuou num convento durante 87 anos, não mais movendo uma palha em prol do seu semelhante.

 

Acredite-se ou não em aparições ou segredos reais ou imaginários.. a obra primária dos servos de Deus é levar a luz, a palavra, o amparo e o auxilio aos seus irmãos. Decididamente, ficar a criar cu e fazer compotas não me parece que seja suficiente para elevar alguém ao estatuto de santo.

 

 


escrevinhado por Mikas às 15:46

link do post | Diz-me o que pensas | ver comentários (4) | favorito

Segunda-feira, 21 de Maio de 2007

Pobre diabo!

  Hoje veio-me à ideia uma historia/anedota muito antiga, que o meu pai contava, para demonstrar como é verdadeira a frase : "As mulheres são piores que o diabo! ".. Cá vai.

 

Era uma vez um lavrador que tinha uma area bastante extensa de terra para trabalhar, e ninguem que o ajudasse. Todas as noites, depois de mais uma jornada cansativa, o pobre homem sentava-se a cear com a mulher e lamentava a sua má sorte:

 

- Ai mulher, por mais que eu monde, por mais que eu guie o arado, por mais que eu ande de sachola, o trabalho nunca está feito... Nunca tenho um dia de descanso! Não há nonguem que apareça para nos ajudar...

 

E a mulher lá o consolava invariavelmente

 

- Deixa lá homem..um dia deste vai aparecer por aí alguem que te deite uma mão..

 

E assim decorriam dias atrás de dias, meses atrás de meses, anos e anos de labuta sem fim.

 

Até que, certo dia em que o trabalho estava a ser particularmente penoso, o pobre homem deitou as mãos à cabeça e gritou:

 

- Ohh maldita sorte a minha! Ai só queria que aparecesse alguem para me ajudar! Nem que fosse o diabo !Eu pagava fosse o que fosse !

 

E de repente, zás, vindo do nada aparece um homem jovem, forte, musculado, de belo sorriso cativante que lhe diz...

 

- Chamaste ?

 

- Chamei ? Quem és tu ? - perguntou o lavrador.

 

- Eu sou aquele que tu chamaste .. O proprio Diabo em pessoa.. Não te assustes. Estou cá para te ajudar..Vejo que por mais que trabalhes o trabalho nunca está feito. Pois estou cá eu para resolver o teu problema..

 

- Ai sim ? Bom, eu pago-te bem! Quando estás disposto a começar?

 

- Eu começo já... imediatamente. E não quero o teu dinheiro.. O meu trato contigo é o seguinte: tens de ter sempre, sempre trabalho para eu fazer. Sempre. No dia em que não houver nem mais uma erva para arrancar..aí tens de me pagar...

 

- Pago ! Quanto queres ?

 

- Já te disse. Não quero o teu dinheiro.. O que quero de ti no dia em que nada mais houver para eu fazer é a tua ALMA.

 

O lavrador ficou estarrecido. Mas depois olhou em redor..viu a extensão imensa de terras por lavrar, viu as ervas e os silvados a crescerem por todo o lado... e pensou que nunca em dias da sua vida o jovem ia ser capaz de ter tudo impecável e resolveu aceitar a proposta do Mafarrico.

 

Resolveu não contar à mulher o trato firmado com o Diabo. Contou-lhe apenas que contratara o jovem para fazer o trabalho dos campos.

 

- Bem, já que arranjaste um ajudante, aproveita e descansa uns dias, homem. Bem precisas...

 

E assim foi..

 

Ao final duma tarde, resolveu ir ver como estava a decorrer o trabalho nas suas terras, e qual não é o seu espanto quando olha e vê a terra completamente limpa de ervas, toda lavrada..e as sementes já colocadas. E novamente, vindo do nada, aparece-lhe o Diabo em forma de gente e diz-lhe, sorrindo:

 

- Patrão, como vês hoje acabo o trabalho todo. Se amanhã nada mais houver para eu fazer, virei reclamar o que me prometeste: a tua ALMA !

 

O homem corre para casa em panico, e a mulher vai dar com ele a chorar copiosamente, coberto em suores frios.

 

- Homem, que se passa ?? O moço que contrataste fez alguma asneira ?

 

O lavrador então contou-lhe a verdade acerca da identidade do forasteiro, e do trato que tinham firmado.

 

- Ai mulher, estou desgraçado. Amanhã não tenho trabalho para lhe dar e ele vai reclamar a minha ALMA !

 

A mulher pensou durante uns momentos, e, astuta como são todas as mulheres, disse ao marido que sossegasse..

 

- Amanhã quando ele aparecer para trabalhar, manda-o ter comigo que eu dou-lhe que fazer.

 

E assim foi..

 

Estava amulher na cozinha a tratar das lides dela, quando o Diabo lhe bate á porta:

 

- Patroa, o patrão não tem nada para eu fazer e mandou-me vir ter consigo. Então cá estou. Que trabalho é para fazer?

 

Então a mulher meteu a mão debaixo da saia e arrancou um pintelho. Entrgou-o ao diabo e deu-lhe instruções:

 

- Quero esse pêlo endireitado. Bem esticadinho. Entendeste? Lisinho !

 

O Diabo ficou estupefacto mas lá tentou cumprir a tarefa. Ele esticava o pêlo, mas mal o largava ele encaracolava de novo.. voltava a esticar e o pêlo novamente encaracolava... 

 

Ai fim de duas horas estava o desgraçado do Diabo já coberto em suor, fartinho de resmungar e danado de todo, e sem haver maneira de manter o estuporado do pintelho lisinho.. olhou a mulher e perguntou em tom ironico:

 

- Ó patroa, aínda há muito deste trabalho para fazer ?

 

 

A mulher olhou-o nos olhos e, erguendo as saias, mostrou-lhe a passarinha, dizendo:

 

- Quando alisares esse, tens aqui estes todos para endireitar.

 

O Diabo, obviamente, deu-se por derrotado, meteu o rabinho entre as pernas, e sumiu.

 

 

sinto-me:
música: What's the frequency Kenneth (REM)

escrevinhado por Mikas às 21:46

link do post | Diz-me o que pensas | ver comentários (6) | favorito

Sexta-feira, 18 de Maio de 2007

What Makes a Man a Man?

 

My mum and I we live alone
A great apartment is our home
In fairhome towers.
I have to keep me company
Two dogs, a cat, a parakeet
Some plants and flowers.
I help my mother with the chores
I wash, she dries, I do the floors
We work together.
I shop and cook and sew a bit
Though mum does too I must admit
I do it better.
At night I work in a strange bar
Impersonating every star
Im quite deceiving.
The customers come in with doubt
And wonder what Im all about..
But leave believing
I do a very special show
Where I am nude from head to toe.
After stripteasing
Each night the men look so surprised
I change my sex before their eyes.
Tell me if you can
What makes a man a man ?

At 3 o'clock or so I meet
With friends to have a bite to eat
And conversation.
We love to empty out our hearts
With every subject from the arts
To liberation.
We love to pull apart someone
And spread some gossip just for fun
Or start a rumour.
We let our hair down, so to speak
And mock ourselves with tongue-in-cheek
And inside humour.
So many times we have to pay
For having fun and being gay
Its not amusing.
Theres always those that spoil our games
By finding fault and calling names
Always accusing.
They draw attention to themselves
At the expense of someone else
Its so confusing.
Yet they make fun of how I talk
And imitate the way I walk..
Tell me if you can
What makes a man a man ?

My masquerade comes to an end
And I go home to bed again
Alone and friendless.
I close my eyes, I think of him
I fantasise what might have been
My dreams are endless.
We love each other but it seems
The love is only in my dreams
..
(Não encontro esta musica no Tube.. mas a letra por si só vale tudo)
Marc, I don't know what really makes a man a man.. but you must be a great man.
sinto-me:

escrevinhado por Mikas às 12:46

link do post | Diz-me o que pensas | ver comentários (1) | favorito

Quinta-feira, 17 de Maio de 2007

De volta ao barraco

 

Deixei a minha barraca abandonada. Que desmazelo o meu, xiii..

Vim dar com isto cheio de pó e teias de aranha.

A verdade é que eu não consigo escrever se não estiver inspirada.

Dirás tu que para as pérolas que escrevo não é preciso grande inspiração..

Ok, até pode ser, mas eu mesmo assim, se não estiver para aí virada, nada feito.

 

Agora xô, andor que quero limpar isto. Já roda a musica, que eu gosto de ir dançando enquanto faço a faxina.

 

Volta mais tarde. Prometo ter a barraca num brinquinho e a cheirar a limão e jasmim.

Andor!

sinto-me:
música: faz faz bé bé (uh uh, yeah yeah)

escrevinhado por Mikas às 15:01

link do post | Diz-me o que pensas | ver comentários (2) | favorito

.subscrever feeds